Amigos, amigos. Negócios à parte: por que não emprestar o nome?

Publicado por Eutolimpo em

Você sabia que emprestar o nome é uma das principais causas da inadimplência no país?

Pois é, segundo o levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), entre os brasileiros que limparam o nome nos últimos 12 meses, 24% haviam entrado para a lista de inadimplentes porque emprestaram o próprio nome a terceiros. Mais da metade (51%) dessas pessoas emprestou o nome com a intenção de ajudar quem fez o pedido, enquanto 16% ficaram com vergonha de dizer não.

A proximidade que temos com as pessoas acaba facilitando essa ação. Em 27% dos casos o pedido de empréstimo do nome partiu de amigos. Em seguida aparecem os pais (14%), filhos (14%) e cônjuges (13%). Os colegas de trabalho ficaram em quarto lugar na lista, com 12% de citações. E é aí que mora o problema: emprestar o nome para amigos ou conhecidos é uma atitude solidária, porém, pode causar prejuízos.

Outros dados importantes sobre o assunto são que:

a) 6 em cada 10 não sabem o valor do empréstimo feito pela outra pessoa, mas R$ 3.700,00 é o valor médio utilizado pelo terceiro (o que, convenhamos, é um valor altíssimo para não se saber); ou sabem, porém, a pessoa acabou gastando mais que o combinado;

b) 7 em cada 10 não conseguiram um novo cartão de crédito ou cartão de uma loja por estarem com o seu “nome sujo” devido o empréstimo.

Por essas e outras razões, é importante ser pé no chão nesses momentos e não se deixar levar pela emoção. Pra isso, temos 3 dicas infalíveis para você não se endividar por ajudar alguém

1.A prenda a dizer não!

A gente sabe que às vezes é muuuito difícil dizer não, principalmente para as pessoas que gostamos. Porém, se torna um “mal” necessário quando envolve nossa vida financeira.

Ao vivenciar essa situação, você pode explicar para a pessoa que te pediu o favor as consequências que um negativação causaria. Além disso, existem outras formas de ajudar aquele amigo/parente que está “na pior”: mostrar formas para ganhar renda extra, apresentar dicas de organização financeira, entre outros.

Negue para não ser negativado!

2. Seja o chato do bem

Seu nome está em jogo, então bora acompanhar de pertinho essa história para garantir um final feliz.

Mantenha o contato próximo com a pessoa, converse pessoalmente com ela sobre a importância de manter o pagamento em dia. Entre em contato antes e durante o dia combinado para o pagamento. Com essa rotina, você reforça a necessidade que você tem de receber o dinheiro de volta.

3. Peça garantia

Cá entre nós, você já foi legal demais emprestando o seu nome sem cobrar juros ou exigir um fiador, então nada mais justo do que pedir uma garantia. Além de diminuir as chances de prejudicar o seu bolso e seu CPF, você aumenta a responsabilidade de quem pediu seu nome emprestado.

“Mas e aí, que tipo de garantia eu posso pedir?”
Não precisa complicar: pode ser um bem no valor do valor a ser pago, um contrato em cartório, ou até um cheque pré-datado. O importante é, de alguma forma, “prender” a pessoa ao compromisso para ela não esquecer que se deixar de cumprir o combinado, ela também sai perdendo.

Agora que você já sabe como evitar o famoso “calote” por emprestar o nome, não vale mais sujar o nome por causa de terceiros, hein?

Se gostou da dica, não deixe de acompanhar a gente aqui e em nossas outras redes sociais: FacebookInstagram e Twitter!

Quer saber se seu CPF está com a gente? É só clicar aqui!

Categorias: Dívidas

Conta pra gente: o que achou desse post?